Kino# Surrealismos

um cao andaluz

FALA-ME DE BUÑUEL
 
II

“Graças a Deus sou sempre ateu!”

 

(À Maria Teresa)

 

Por Santa Rita

… e sem dinheiro e com projectos, Buñuel trabalha em Paris na dobragem de filmes até regressar a Espanha onde, com a cumplicidade do produtor Ricardo Urgoiti, iniciou o projecto “Filmófono” cuja pretensão seria a de relançar o cinema espanhol. Esta  cumplicidade deu origem a quatro filmes dos quais Buñuel sempre recusaria qualquer paternidade ao ponto do seu nome nunca ter aparecido no genérico dos mesmos. Diversos estudiosos da obra “buñueliana”, atribuir-lhe-iam no entanto a verdadeira autoria. De facto, muitos anos mais tarde, Buñuel viria a admitir que tivera um papel relevante na sua realização.

Continue reading “Kino# Surrealismos”