3 linhas sobre…Billy Idol

Billy Idol é uma voz inconfundível dos anos 80. Irreverente, marcou pelos seus pujantes hinos a piscar forte o olho à sensualidade. Os vídeos dos temas são sempre sugestivos (alguém se recorda de “White Weeding” ou “Hot in the city”?).

Texto Irene Mónica Leite

Ora o nosso amigo Billy iniciou a sua carreira musical como membro dos Bromley Contingent, um grupo de seguidores dos Sex Pistols, que incluía membros dos  The Clash e Siouxsie and the Banshees.

Billy uniu-se a Tony James e ambos fizeram parte da primeira formação da lendária e famosa banda punk Chelsea, logo depois deixaram esse grupo e formaram a banda Generation X, cujo nome veio de um livro sobre a Cultura Rock da Juventude dos Anos 60.

Os Generation X explodiram em 1979.

Após três discos lançados, o grupo acaba em 1980 e já no ano seguinte, Billy Idol resolve investir numa carreira solo, ao que parece a sua salvação.

Mudou-se em definitivo para os Estados Unidos e ao lado do respeitadíssimo guitarrista Steve Stevens (grande estilo nos vídeos musicais), lançou grandes hits como “Dancing With Myself”, “Mony Mony”, “White Wedding”, “Rebel Yell”, “Eyes Without a Face”, “Flesh For Fantasy”, “Sweet Sixteen”, “Don’t Need a Gun” e “Cradle Of Love”.

“Catch my Fall”, já desta fase a solo e do álbum “Rebel yell” mostra novamente o “bom rapaz” a desfilar a sua “bondade”, se é que me faço entender…

Ninguém diria que este vulcão uns bons anos mais tarde cantaria clássicos temas de Natal…. Mas sempre estiloso. RESPECT

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s